Foto: Ari Miranda – Assessoria

O deputado Zeca Viana (PDT-MT) afirma quea oposição vai continuar a fiscalizar o governo Pedro Taques, para a gestão “não meter a mão no dinheiro público”. O parlamentar citou o caso em que o governo quer a todo custo realizar licitação para pavimentação de rodovias com o modelo de Regime Diferenciado de Contratação (RDC).

“Quando pontuamos não é porque somos oposição. Nós queremos ajudar este Estado, e fazer com que esse governo não meta a mão com toda a vontade no dinheiro público”, criticou da tribuna na quarta-feira (11) à noite da Assembleia Legislativa. “Uma situação dessa não traz benefício nenhum para a sociedade. É aquele mau cheiro de podridão, de falcatrua para bancar suas campanhas”, citou o deputado.

O deputado Zeca deu como exemplo o caso divulgado pela mídia quarta-feira (11), no qual o Ministério Público do Estado (MPE) instaurou inquérito para investigar crime de improbidade administrativa para licitação na rodovia estadual MT-322, entre Matupá e São José do Xingu (entroncamento da BR-163 até a MT-130), com 6 Km de extensão, no valor de R$ 9,3 milhões. O procedimento foi instaurado pela promotora Audrey Ility. Após, a notificação do MPE, o governo suspendeu a licitação na quarta-feira.

No final de março, o deputado e a deputada Janaina Riva (MDB) denunciaram fraude em licitação de R$ 200,5 milhões para construção de 300 pontes, com suposto direcionamento, referente ao edital 001/2017. Eles encaminharam documentos e formalizaram denúncia junto ao Ministério Público. Depois disso, o Ministério Público, por meio do promotor Mauro Zaque, fez uma notificação recomendatória para suspender o registro de preço do edital, cuja sessão pública era prevista para 27 de abril.

Desinformação

Zeca Viana também retrucou na tribuna a resposta do governador Pedro Taques e do secretário Marcelo Duarte, segundo a qual ele e Janaína estavam “desinformados”. O governador chegou a dizer a um portal de Cuiabá que os deputados tinha “desconhecimento, despreparo e descontrole” sobre o assunto.

“Vim aqui nesta tribuna para mostrar ao pessoal do governo que a oposição não é desinformada e não é desiquilibrada, como o secretário da Sinfra nos taxou semana passada sobre as licitações das pontes e projetos do RDC”, comentou Zeca Viana.

Além de citar o caso da suspensão da obra de pavimentação suspensa, o deputado Zeca Viana disse que um dispositivo do RDC está suspenso por decisão monocrática do ministro do STF, Luís Roberto Barroso. “Essa lei está suspensa pelo Supremo Tribunal Federal. Então é óbvio que não podemos aprovar algo aqui de uma lei suspensa pelo STF”, argumentou o deputado.

“A informação, ou excesso de informação, está com o secretário, porque a velocidade que ele quer fazer as obras nos últimos 7 a 8 meses que faltam, o que ele não fez em 3 anos e meio para trás, ele quer fazer agora”, completou.

O processo do STF citado por Zeca é uma Medida Cautelar em Mandado de Segurança 33889, do Distrito Federal.

“Essa lei está suspensa pelo STF. A desinformação ou excesso de informação está com esse secretário, com a velocidade que ele quer fazer as coisas com 7 a 8 meses, o que ele não fez em 3 anos e 3 meses”, criticou Zeca sobre o titular da Secretaria de Infraestrutura e Logística.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Zeca Viana denuncia abandono e tratamento desumano... Cerca de 350 estudantes da rede pública estadual enfrentam situação de calamidade para poder estudar na Escola Estadual Miguel Gonçalves Borges, em Ca...
Zeca Viana cobra Botelho sobre votação do relatóri... O deputado Zeca Viana (PDT-MT) cobrou o relatório da CPI da Copa ao presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), e do vice-presidente,...
Zeca Viana critica representações arquivadas pelo ... Foto: Marcos Lopes (ALMT) O deputado Zeca Viana (PDT-MT) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa na noite de terça-feira (10) para relembrar ...
Viana avisa que vai barrar empréstimo do VLT até a... Revoltado com o anúncio de que o Hospital Regional de Sorriso pode voltar a fechar as portas devido ao atraso de repasses do governo do Estado, o depu...