Frente Parlamentar realiza curso para melhorar gerenciamento de projetos e recursos públicos

Gestores e servidores públicos de toso o estado de Mato Grosso estiveram​ no auditório Milton Figueiredo, na Assembleia Legislativa, durante esta terça-feira (16) para participar do Curso de Gerenciamento de Projetos “PMDay”, realizado em uma parceria entre a Frente Parlamentar do Agronegócio (FPA), presidida pelo deputado Zeca Viana (PDT-MT) e o Project Management Institute (PMI). Em seu discurso de abertura, Zeca Viana destacou a importância de uma gestão eficiente e dos recursos públicos, sobretudo neste período de fragilidade da economia brasileira. “Em anos de ‘vacas magras’, nós precisamos multiplicar o pouco dos recursos que a gente tem e este evento vem justamente para mostrar a importância de um projeto de gerenciamento de qualidade para nossos gestores públicos” disse. Ainda sobre a importância do gerenciamento adequado de projetos, Zeca Viana citou como exemplo de má gestão de recursos públicos as obras da Copa do Mundo de 2014 e reforçou que “o evento foi estratégico para mostrarmos o quanto é importante o planejamento dentro da gestão pública para a correta aplicação de recursos”, concluiu. Clebiano Nogueira, presidente da PMI Mato Grosso, avaliou positivamente o evento e a participação do público, destacando que este é um assunto que deve ser mais abordado e trabalhado na gestão pública. “Nosso desafio é estabelecer uma captação de recursos adequada e profissionais capacitados para cumprirem todas as etapas do processo de forma criteriosa para não trazer sérios problemas para o município”, explicou.   O EVENTO Clebiano Nogueira proferiu a palestra “5 práticas indispensáveis de Gerenciamento de Projetos para o setor público”. Além do presidente da PMI Mato Grosso, o evento contou ainda com palestras de Sérgio...

Zeca Viana cobra esclarecimentos sobre conta única do Fethab

O deputado estadual Zeca Viana apresentou nesta terça-feira (25) requerimento de informações ao governo do Estado cobrando detalhes sobre a abertura da conta específica do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab), conforme determinado pela lei 10.480/2016. “Durante a votação do Fethab 2, ficou acertado entre os deputados e o governo que seria criada uma conta específica para gerenciar os recursos do Fethab Commodities, que seria administrada por um conselho que também iria determinar as rodovias a serem beneficiadas”, explicou Zeca. A criação de uma conta específica para gestão do Fethab foi uma medida defendida pelas entidades do agronegócio para garantir que os recursos do Fundo não sejam desviados de função, como para pagamento da folha salarial. Zeca cobrou ainda a prestação de contas dos valores que já foram arrecadados com o Fethab e o detalhamento dos investimentos realizados com esses recursos. “Acontece que nós estamos alheios a essas informações de quanto foi arrecadado, qual é essa conta específica do Fethab e onde estão sendo investidos esses recursos”, disse. Nova lei do Fethab Após debate com deputados e representantes do agronegócio, o governo conseguiu aprovar, no final de 2016, uma nova legislação para o Fethab (Lei n° 10.480/2016). Entre as mudanças, ficou estabelecido que os recursos arrecadados com o Fethab 1 (proveniente das contribuições das commodities de soja, algodão, milho, madeira e gado em pé), e também do chamado Fethab 2 Adicional (exceto madeira) devem ser investidos exclusivamente em infraestrutura de transporte. O valor do Fethab Óleo Diesel passou de R$ 0,19 (dezenove centavos) para R$ 0,21 (vinte e um centavos), por litro de produto. Do Fethab Óleo Diesel (estimado...

Zeca Viana contesta valores do VLT e votação de CPI é adiada novamente

A proposta de pagamento de R$ 922 milhões para retomada das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande foi criticada pelo deputado Zeca Viana (PDT-MT) durante a sessão desta terça-feira (25/04), na Assembleia Legislativa, quando seria votado o relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Obras da Copa. Zeca apontou que o governo do Estado quer fechar acordo com o consórcio e retomar as obras apesar de todas as irregularidades que foram encontradas no processo licitatório e na condução dos trabalhos durante o governo Silval Barbosa (PMDB). “Se nós temos um parecer [da CPI] de que esse consórcio [do VLT] não pode continuar, porque já roubaram o que puderam no tempo do Silval. Como o Estado vai aguentar essas falcatruas? Onde está a seriedade desse governo?”, afirmou. O relatório final da CPI, presidida pelo deputado Oscar Bezerra (PSB), recomenda que o consórcio VLT devolva ao Estado R$ 315 milhões devido às irregularidades constatadas. Durante a sessão desta terça, foi apresentada uma emenda pelo deputado Mauro Savi (PSB) para incluir a recomendação de rescisão do contrato com o consórcio VLT e o encaminhamento dos documentos para investigação pelos órgãos competentes. Devido às alterações, a votação do relatório final da CPI das Obras da Copa foi adiada para esta quarta-feira (26), quando também será analisada a emenda apresentada pelos membros da comissão. EMPRESA INTERESSADA O deputado Zeca Viana revelou ainda que há uma empresa chinesa interessada em retomar as obras do VLT com dinheiro próprio, por meio de uma Parceria Público Privada (PPP) com o governo do Estado. A proposta conta, inclusive, com aval...

Frente Parlamentar da Suinocultura realiza reunião para orientar cadeia produtiva em Cláudia

A direção da Frente Parlamentar da Suinocultura e da Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat) apresentaram o estudo de viabilidade da implantação da cadeia produtiva da suinocultura no município de Cláudia (586 Km ao Norte de Cuiabá) nesta sexta-feira (7/4). O coordenador-geral da frente, deputado Zeca Viana (PDT-MT), afirmou que a atividade é importante para gerar emprego e renda à cidade. “Nosso foco é fazer com que realmente a sociedade e a população de Mato Grosso cresçam financeiramente com dignidade humana de se produzir dentro do nosso Estado”, avaliou sobre os benefícios. Ele disse que a Assembleia Legislativa e seu gabinete estão de portas abertas para atender as demandas necessárias do setor e outras atividades para orientar no que for preciso. Zeca Viana destacou que é importante os produtores locais e as autoridades fazerem a interlocução com o governo do Estado, através da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), e com a técnica e capacitação promovida pela Acrismat. “Onde nós detectamos nos municípios que há poder público interessado em destravar o desenvolvimento para seus produtores e empresários, a Assembleia Legislativa está pronta para ajudar”. MATRIZES O diretor Executivo da Acrismat, Custódio Rodrigues de Castro Jr, lembrou que Mato Grosso já tem desenvolvimento de ponta com tecnologia na agricultura e pecuária. Ele lembrou que projetos como os iniciados em Cláudia também começaram no final da década de 1970 e 1980, em Lucas e Nova Mutum, quando se instalaram com 4 mil matrizes. “Hoje temos em Mato Grosso 144 mil matrizes de qualidade tecnificada. Este projeto em Cláudia veio para agregar valor aos grãos, que vocês têm aqui. Com...

Empresários debatem cultivo de trigo e empresa analisa viabilidade de instalar moinho em Primavera do Leste

Empresários e técnicos da região de Primavera do Leste (240 Km a Leste de Cuiabá) reuniram-se esta semana para avaliar o Programa Pró-Trigo no município. Na ocasião, o diretor comercial do Moinho Dona Hilda, de Mariópolis (PR), João Antônio Sentchuk, afirmou que a empresa tem interesse em instalar uma unidade de moagem na cidade. Uma reunião liderada pela Frente Parlamentar do Agronegócio ainda neste mês deve ser realizada com a diretoria da Cooperativa Agropecuária de Primaverense (Cooaprima) para encaminhar o assunto. Outra reunião deve ser realizada com a Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja) dia 1º de junho. O extensionista e coordenador da Câmara Técnica do Trigo da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Hortêncio Paro, explica o objetivo da reunião como forma de detectar a viabilidade do plantio comercial do trigo. Ele afirma que a triticultura pode ser alternativa para um segmento do agronegócio em Mato Grosso. “Foi feita uma reunião com lideranças locais e estaduais para ver a viabilidade da futura instalação de um moinho flex, de trigo e milho, de forma a verticalizar a produção na região, aumentando a renda do produtor e gerando empregos”, argumenta. De acordo com o coordenador, há condições para o plantio e colheita da cultura do trigo. “Nós estamos colocando trigo aqui porque tem mais de 35 mil hectares de área plantada e o trigo vai muito bem no vazio sanitário da soja. Por isso queremos sugerir o plantio do trigo de maio a setembro, porque vai fortalecer o produtor da região”, esclareceu Hortêncio Paro, após reunião realizada na terça-feira (29/3). Apoio institucional O extensionista afirma...